Autárquicas na Praia

Partilhar

Não voto! OK é um triste costume meu. Mas isso não quer dizer que não acompanhe com atenção e interesse as eleições. Acompanhei a forte campanha do MPD na Praia, pôs no terreno meios que demonstravam claramente que apostou tudo nestas autárquicas, até no discurso tentou fazer destas eleições umas primárias das legislativas. Do PAICV da Praia vi tentativas de acompanhar a pedalada dos outros mas sempre com déficits de marketing político e uma confiança (grande) no animal político que Filú é e no eleitorado fiel que tem. Acompanhei as sondagens duns e doutros, todas com margem para Filu.
Por isso surpreendi-me num primeiro momento quando Ulisses cantou vitória. Primeiro pela vitória! Depois quando confirmei o número de mesas contadas entrei em estupefacção! Só podia ser brincadeira! Com 34 mesas contadas num universo de 130 e um ridículo avanço de 300 votos? Como? Como pode alguém em sã consciência declarar-se vencedor?
Quem pretendia ele enganar? O PAICV? Acho que não!
Sabe Ulisses contar tão bem (ou melhor) que eu e sabe que no decurso da contagem tudo vai mudar. Sabe que faltam as mesas maiores... Também sabe que tal como o MPD o PAICV vai tendo os números. Dificilmente cairá na patranha (porque de patranha se trata) de assumir uma derrota. Claro que Filú e Zé Maria Neves ficam com uma situação difícil para gerir. O prevísivel atraso da CNE joga a favor de Ulisses. E Ulisses joga. Joga com os apoiantes e militantes do MPD. Tenta colocar gente nas ruas e causar diversão para que não pensem. É grande a festa de quem tem 200 votos de avanço com menos de 25% das mesas contadas! Demasiado grande...
O PAICV aguenta-se. Filú fala com serenidade. Sabe que a dúvida e a desmotivação se vão instalar entre os seus mas prefere visivelmente manter a calma nas hostes. Não põe gente nas ruas. As ordens são claras: os meus números dão-me vitória, vamos recontar e esperar os resultados oficiais. E silêncio. Não entra no jogo! Não joga com os seus.
Pela primeira vez percebo o porquê desta paixão dos praienses por Filu. Não sacrifica a cidade, nem os seus.
Está certo!

Mais uma vez uma triste estratégia a do MPD e do Ulisses. A estratégia de quem julga cegos os seus militantes. A estratégia de quem escolhe faltar ao respeito à Praia, aos praiense mas acima de tudo ao seu eleitorado.

6 comentários:

MS - Mnininha d'Soncente disse...

Sabia que em cada mesa de voto há os delegados de cada partido que qdo encerram as urnas possuem certidões que dizem: os votos de cada partido, os nulos, os brancos e os contestados? Ou seja uma candidatura bem organizada, consegue saber antes da publicação dos dados pela CNE se ganhou ou não..é só somar os votos das certidões e ver se a diferença que existe não é superior aos votos contestados. Por isso tanto o PAICV como o MPD possuem estes dados. Logo é normal que qdo a CNE tenha apurado 30 mesas a candidtura do Ulisses já tinha os resultados das mesas todas.

MM disse...

Tal como o PAICV que resistiu à facil tentação de cantar vitória também. E de apelar à movimentação nas ruas.
Não tenho dúvidas que Ulisses sabia que tinha perdido. Tal como se diz no texto jogou e jogou com aqueles que acreditam nele. Por isso não quis esperar. Porque qualquer candidatura bem organizada sabe que não pode cantar vitória e festejar quando 30 de 120 mesas estão contadas. Por isso me parece que não foi lapso...

Anónimo disse...

Eu também não voto. Por convicção. E essa convicção diz-me que ganhe quem ganhar, as coisas irão continuar assim... como meras "coisas" que não mercem o respeito que se impõe. Afinal das contas os vencedores de eleições s~
ao ou não pessoas colocadas nos lugares pelo povo? Deveria ou não ser "O POVO" as suas principais preocupações? É inconcebível que ano sim ano não, partido sim partido não, a praia continue sendo a desorganização, o vandalismo, a insegurança, a escuridão e a porcaria em que se tornou. Quanto a isso duvido... DUVIDO que partido algum vá pensar na solução dos problemas da cidade e das gentes da capital, ao invéz de cair na tentação de pós tomada de posse preparar-se para ganhar as eleições seguintes. Com políticos assim, o meu apelo é ao NÃO VOTO!

MM disse...

Concordo parcialmente. Pessoalmente não apreciei a gestão de Filu. Há medidas que são necessárias na Praia e exigem a coragem de quem não tem ambições políticas. A questão do lixo é ua delas, ele não cai do céu, é preciso penalizar as pessoas. A questão urbana, é preciso deitar casas clandestinas abaixo mas coragem para fazê-lo. E outras...
No caso da escuridão não concordo, esse problema ultrapassa a CMP; há custos de privatizações precipitadas em sectores chave, há investimentos a fazer que ultrapassam a nossa capacidade financeira... Da segurança muito há a dizer mas reservo para um post.
Enfim, muito caminho há nossa frente.

Kuskas disse...

Concordo consigo que apesar das maquinas partidarias a funcionarem lindamente, nenhum candidato sério cantaria victoria com somente um terço das mesas apuradas. Afinal o que conta mesmo são os dados oficiais.

Acredito que o Filu tenha perdido e se perdeu é por pura culpa do EGO dele. Não gostei da gestão dele dos ultimos 4 anos. Foi um desastre.

Mas ao Ulisses desejo e espero que tenha a coragem politica para tomar as decisões necessárias e urgente para Praia TER SOLUÇÃO. O trabalho vai ser duro e dificil. Educar uma população para o saneamento não é tarefa fácil, nem popular.
E decididamente o problema da segurança da Praia não será nem de LONGE nem de PERTO resolvido pela CMP. É mais profundo que isto.

Vou esperar para ver...

MM disse...

Concordo anónimo. Nesta hora já se sabe que Ulisses ganhou. Espero que cumpra e encontre e ponha em prática as soluções que a Praia precisa. Yep Filu perdeu e muito por culpa própria. Duma gestão pouco activa (na minha opinião) e duma campanha fraquita.